Home > Gerais > Janeiro Branco: quatro dicas para manter a saúde mental em dia

Janeiro Branco: quatro dicas para manter a saúde mental em dia

Você já ouviu falar sobre Janeiro Branco? Esta é uma importante campanha criada no Brasil que visa conscientizar a população sobre a importância dos cuidados com a saúde mental e quebrar tabus a respeito da psicoterapia. “A atenção com a saúde mental é fundamental na busca por maior qualidade de vida”, diz Filipe Colombini, psicólogo e CEO da Equipe AT, que também reforça a importância da terapia para que a pessoa consiga desenvolver estratégias saudáveis e funcionais para lidar de forma positiva com os desafios da vida.
Veja, a seguir, cinco cuidados recomendados pelo psicólogo para manter a saúde mental em dia:

1.Cultive a consciência emocional: entenda que as emoções positivas e negativas fazem parte da vida e ambas merecem momentos de reflexão. Dessa forma, você estará criando um ambiente seguro para que você e quem está ao seu redor possa compartilhar suas vivências e desafios diários (sendo que a fala e a escuta ativa são fundamentais na busca pela saúde mental). “Entender como lidar com as diferentes emoções, sejam elas positivas ou desafiadoras, é crucial para evitar comportamentos impulsivos e construir relacionamentos saudáveis”, diz Colombini.
2. Tenha momentos para refletir sobre si mesmo: além do lazer, reserve períodos de qualidade para reflexão e autoconhecimento. É preciso que a pessoa se envolva ativamente nessas atividades, promovendo a curiosidade e criatividade no entendimento sobre si. “Saber quem você é e o que valoriza é essencial para o desenvolvimento pessoal e para a conquista da regulação emocional”, diz o especialista. Assim, que tal dedicar alguns minutos para meditação, fazer uma boa leitura, sair para caminhar longe do celular?
3. Estabeleça limites saudáveis: a saúde mental envolve o entendimento de limites pessoais e sociais e a compreensão precoce desses limites contribui para um ambiente mentalmente seguro. Por exemplo, é totalmente natural dizer “não” e esse ainda é um tabu na sociedade, muitas pessoas têm resistência a dar uma negativa, em função de pressões sociais. Mas isso é uma atitude necessária em algumas situações para preservar a si mesmo.
4. Mantenha uma rede de apoio: tenha pessoas de confiança com quem pode se abrir sem receios. “Uma rede de suporte composta por amigos, familiares e profissionais de saúde mental é importante para lidar com os desafios emocionais. As pessoas precisam compartilhar valores e objetivos, proporcionando um ambiente de apoio mútuo”, diz Colombini.

Mais sobre Filipe Colombini: psicólogo, fundador e CEO da Equipe AT, empresa com foco em Atendimento Terapêutico que atua em São Paulo(SP) desde 2012. Especialista em orientação parental e atendimento de crianças, jovens e adultos. Especialista em Clínica Analítico-Comportamental. Mestre Relatório de Assessoria de Imprensa Período: 15/05/2022 a 14/11/2023 Página 41 de 179 em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). Professor do Curso de Acompanhamento Terapêutico do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas – Instituto de Psiquiatria Hospital das Clínicas (GREA-IPq-HCFMUSP). Formação em Psicoterapia Baseada em Evidências, Acompanhamento Terapêutico, Terapia Infantil, Desenvolvimento Atípico e Abuso de Substâncias.