Hospital de Indaial é investigado por possível mau uso de medicamentos que pode ter causado morte de

O Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) instaurou na semana passada um inquérito civil para investigar a suspeita de imprudência do Hospital Beatriz Ramos, em Indaial, no tratamento de pacientes com coronavírus. A investigação diz respeito a uma possível utilização de doses elevadas do medicamento Propofol em pacientes internados na UTI Covid-19.


Segundo denúncias, o excesso dos medicamentos pode ter acarretado casos de Síndrome de Infusão de Propofol e até mortes de pacientes. Como todos os detalhes sobre a denúncia e fatos encontrados até o momento estão sob sigilo, não há informações sobre o número de pacientes que podem ter sido prejudicados.


O promotor responsável pelas investigações é Bruno Bolognini Tridapalli, titular da 2ª Promotoria de Justiça de Indaial. Até o momento, a informação que se tem é que os responsáveis pelo Hospital Beatriz Ramos estão sendo notificados para responderem os questionamentos do promotor.


Nossa equipe entrou em contato com a administração do hospital, que, por meio de nota, informou que está ciente das investigações, mas que todas as explicações serão respondidas ao órgão oficial.


O hospital não quis se pronunciar sobre o objeto do inquérito. Confira a nota na íntegra:


NOTA OFICIAL DE ESCLARECIMENTO


Esclarecimento sobre denúncia do MP-SC ao possível uso excessivo do medicamento propofol em pacientes com Covid-19

O Hospital Beatriz Ramos informa que está ciente da investigação por parte do Ministério Público de Santa Catarina sobre os possíveis casos de uso excessivo do medicamento propofol em pacientes com Covid-19. O HBR já está respondendo ao órgão oficial, prestando todos os esclarecimentos solicitados.

O medicamento Propofol

Segundo a bula, é indicado para indução e manutenção de anestesia geral em procedimentos cirúrgicos. Ou seja, significa que o Propofol faz com que o paciente fique inconsciente ou sedado durante operações ou outros procedimentos.

Ele também é utilizado para sedação de pacientes que estejam em UTI com ventilação mecânica – casos que se tornaram comuns na pandemia de Covid-19.

Casos

No período entre 1 de março de 2020 e 31 de março de 2022, o Hospital Beatriz Ramos registrou um total de 366 internações e 90 óbitos.


Click Notícias

Fonte: O Município



33 visualizações0 comentário