Mulher é picada por Jararaca enquanto cortava cana no quintal de casa em Ibirama

Uma mulher de 59 anos precisou ser levada ao hospital após ser picada por uma jararaca em Ibirama, na manhã desta segunda-feira (22). A vítima foi atacada pela cobra enquanto cortava cana no jardim de casa. A mulher seguia internada no hospital até as 14h desta segunda. O animal foi morto.


Com o calor o número de cobras aumentam

O caso ocorreu por volta da 9h30 no bairro Ponto Chic. De acordo com os bombeiros, a mulher, ao ser picada, sacudiu o braço para tentar soltar o animal. Porém, acabou mordida mais vezes. Os socorristas informaram que havia marcas de seis perfurações no braço da vítima.


A mulher foi levada ao Hospital Dr. Waldomiro Colautti. A unidade informou que, às 14h, a paciente era medicada com soro e depois ficará em observação. Não há previsão de alta.

Quando uma pessoa é picada por um jararaca, os principais sintomas de envenenamento começam a aparecer cerca de três horas depois. Entre eles, a vítima costuma ter dor persistente, inchaço no local, calor na pele, bolhas, gangrena e até mesmo insuficiência renal.


O que fazer em caso de picada?

  • caso seja picado por uma cobra, não se deve amarrar o local. Segundo o biólogo Christian Lempek, o torniquete pode aumentar o risco de necrosar o local e resultar até em amputação;

  • não se deve cortar o local, fazer perfurações ou sucção;

  • o local da picada deve ser lavado com água e sabão;

  • a vítima deve ser levada o mais rápido possível ao hospital;

  • é importante tentar identificar a serpente (pode ser por foto, se possível) pois isso facilitará para escolha do soro antiofídico a ser aplicado.


Onde ligar

Entre em contato com os Bombeiros (193) ou com a Polícia Ambiental da sua cidade (190);

  • Em caso de acidente com serpente, entre em contato com o Samu (192), os Bombeiros (193) ou se dirija ao hospital público mais próximo;

  • Em caso de dúvidas ou orientações sobre procedimentos de primeiros socorros, ligue para o Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC), pelo telefone: 0800 643 5252.

  • Em Jaraguá do Sul, o telefone da Fujama é (47) 3273-8008, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h.

Click Notícias

Fonte: G1SC



60 visualizações0 comentário