Home > Saúde > Uso exagerado de lentes nos dentes: até onde o dentista deve agradar o cliente?

Uso exagerado de lentes nos dentes: até onde o dentista deve agradar o cliente?

A cirurgiã-dentista Maria Fernanda Braga abre a discussão de como atingir o sorriso perfeito e não fugir da ética profissional

O uso de lentes de porcelana nos dentes tem se tornado cada vez mais comum em busca de um sorriso perfeito. No entanto, uma questão que tem gerado discussões na área da odontologia é até que ponto o dentista deve ir para atender aos desejos estéticos dos clientes, principalmente quando se trata de um uso excessivo dessas lentes.

Em primeiro lugar, é importante destacar que a odontologia, assim como outras profissões de saúde, é regida por princípios éticos que visam o bem-estar do paciente. Nesse contexto, a ética profissional desempenha um papel crucial na determinação de até que ponto um dentista deve seguir o desejo do cliente. “A saúde bucal e a funcionalidade dos dentes devem sempre ser priorizadas, e qualquer procedimento estético deve ser realizado com responsabilidade”, afirma a cirurgiã-dentista Maria Fernanda Braga, referência na área e idealizadora de um projeto de conscientização sobre a importância da saude bucal. 

O uso excessivo de lentes nos dentes é uma preocupação real. “Muitas pessoas optam por lentes muito maiores do que o tamanho natural de seu sorriso, buscando um visual extremamente branco e perfeito”, diz a cirurgiã-dentista. No entanto, é importante ressaltar que a cor “branco neve” não é natural na dentição humana. “A busca desenfreada por um sorriso excessivamente branco pode resultar em um aspecto artificial e pouco saudável”, complementa Maria Fernanda.

Nesse sentido, o dentista desempenha um papel fundamental como profissional de saúde e deve agir com responsabilidade, fornecendo orientações claras aos pacientes. “É seu dever educar os pacientes sobre as limitações da estética dentária e os riscos associados ao uso exagerado de lentes. A abordagem adequada deve incluir a discussão das opções disponíveis, os benefícios e os possíveis efeitos colaterais de cada procedimento”, afirma a profissional.

Além disso, é essencial que o dentista leve em consideração as características únicas de cada paciente, como a forma do rosto, a cor da pele e a estrutura dental, para criar um sorriso que seja harmônico e natural. Isso implica em evitar o uso de lentes que sejam desproporcionais ao sorriso e que comprometam a funcionalidade dos dentes.

O uso exagerado de lentes nos dentes é uma questão que demanda uma abordagem ética por parte dos dentistas. A busca por um sorriso perfeito não deve comprometer a saúde bucal e a naturalidade do paciente. É dever do dentista fornecer orientações claras e educativas, priorizando sempre o bem-estar e a saúde dos pacientes, sem abrir mão da estética de forma responsável e harmônica.

Maria Fernanda Braga : CRO RJ-41346
Cirurgiã-dentista, especializada em bebês e crianças, com formação e especialização pela UFRJ. É escritora, desenhista e idealizadora do projeto de prevenção da saúde bucal “As Aventuras de Dentix”, que cria uma comunicação facilitada para fazer a informação chegar para as famílias.